O desafio da vida: encontrar-se

5897x 07. 08. 2019 Leitor 1

A maior aventura e desafio é descobrir quem realmente somos. Para alguns, tentar encontrar a si mesmo pode ser egoísta, mas é o oposto. Na verdade, é um processo altruísta que conduz todas as nossas ações e ações. Para ser um grande parceiro, amigo ou pai, é necessário conhecer a nós mesmos o que queremos da vida e do meio que nos rodeia e o que podemos oferecer.

O processo de cognição

Este processo inclui etapas menos agradáveis. Estágios que podem ser dolorosos, mas ainda uma parte necessária deste processo. Elas envolvem a desintegração e liberação de camadas que não nos servem em nossas vidas, que nos apedrejam ou nos ferem negativamente. Tudo é condicionado por conhecer e perceber quem realmente somos e o que nos move adiante. Este processo é um reflexo da nossa força interior, mas também da nossa vulnerabilidade. As seguintes dicas 6 podem ajudá-lo a passar por este processo.

1) Aceite seu passado

Para descobrir verdadeiramente quem somos e o que queremos, precisamos conhecer nossa própria história. Vamos ser corajosos e mergulhar em nosso passado, porque isso pode moldar-nos mais do que você pensa. Seja traumas de infância ocultos, sentimentos feridos e sentimentos de ódio. Tudo isso está nos moldando e precisamos enfrentar tudo isso e entender melhor por que fazemos todo o sentido e nos toca muito.

O ambiente, as opiniões e atitudes do ambiente em que crescemos têm uma grande influência sobre como nos comportamos na idade adulta. Experiências dolorosas na infância geralmente determinam como nos avaliamos e nos defendemos. Por exemplo, se tivéssemos um pai muito duro e exigente, poderíamos ter uma tendência mais forte para nos proteger, ou, pelo contrário, fazer todo o possível para gratificar o que nos rodeia. É importante entender seus motivos e suas origens.

Se tentarmos esconder nossas próprias experiências dolorosas, não admiti-las, podemos nos sentir perdidos. Podemos agir intuitivamente de uma certa maneira e não entenderemos por quê. Para entender as causas, podemos usar, por exemplo, técnica Mindsight, hipnose, terapia de regressão, pintura, etc. Depois da compreensão e aceitação, até os momentos mais exigentes podem se tornar nossa parte natural, o que nos deslocará no desenvolvimento, não o atrapalhará.

Os seguintes passos 4 também ajudam:

Passo 1: Vamos nos abster de criticar a nós mesmos e aos outros. Esses pensamentos agressivos e a auto-estima negativa podem literalmente prejudicar nossos pés.

Passo 2: Se expressarmos uma opinião negativa sobre nós mesmos, tenhamos certeza de que é nossa opinião. Que não é uma opinião negativa dos pais, amigos ou colegas.

Passo 3: Vamos tentar abandonar os padrões defensivos que são uma reação às experiências dolorosas da infância.

Passo 4: Vamos desenvolver nossos próprios valores, metas e ideais.

2) Encontre significado

Sobrevivência muitas vezes depende de encontrar o sentido da vida e da alegria, mesmo nas condições mais exigentes. Pessoas que sobreviveram a campos de concentração poderiam dizer. Vamos tentar encontrar o nosso próprio significado na vida, que nem sempre tem que coincidir com as opiniões de outras pessoas. As pessoas mais felizes nem sempre são aquelas que procuram por prazeres pontuais, muitas vezes pessoas mais afortunadas que têm seus objetivos e princípios, e estão buscando alegria nas coisas mais comuns.

3) Pense no que você quer

Na vida, muitas vezes podemos ter o desejo de reclamar mais sobre o que não conseguimos fazer do que perceber o que fizemos. Vamos tentar nos concentrar mais em pensamentos e avaliações positivas, menos naquilo que não fizemos ou não queremos. Vamos ser felizes, nos apaixonar, ser bem sucedidos ... Não vamos ouvir os bateristas internos que podem nos lembrar que não merecemos o que faz…

Vamos tentar traduzir isso em comunicação. Quando falamos com um parceiro, não digamos: "Você nunca me escuta, não se importa comigo". Estaremos muito mais próximos do nosso parceiro.

4) Reconheça sua força pessoal

O poder pessoal é baseado na confiança e força que ganhamos durante o nosso desenvolvimento. Vamos encontrar a força para rejeitar as opiniões e opiniões que podem ser impostas a nós. Vamos encontrar a força para ter certeza de nossos próprios pontos de vista, para ficar com eles.

5) Pratique compaixão e generosidade

Mahatma Gandhi disse uma vez: "A melhor maneira de se encontrar é se perder no serviço dos outros.". Pesquisas freqüentemente mostram que as pessoas estão mais felizes em dar do que em receber. Portanto, sejamos generosos e compassivos, ajudando os outros.

6) Lembre-se do valor da amizade

Nós não escolhemos a família em que nascemos, mas essa família nos molda e influencia. Mas nós podemos fazer amigos. Vamos, portanto, trazer para a nossa vizinhança apenas aqueles indivíduos que nos fazem felizes, que nos apóiam e nos desenvolvem. É assim que criamos nosso próprio círculo de pessoas, que podemos chamar de "família".

Dica para eshop Sueneé Universe

Heinz-Peter Röhr: Infância Condicional - Restauração da Confiança

Toda pessoa deveria experimentar infância linda. Se não for esse o caso, pode ter consequências na adolescência e na idade adulta. Em sua publicação, Heinz-Peter Röhr sugere soluções simples que podem ajudar essas pessoas a se recuperarem autoconfiança e independência.

Heinz-Peter Röhr: Infância Condicional - Restauração da Confiança

Artigos semelhantes

Deixe um comentário